Bitcoin: como funciona?

Bitcoin: como funciona?

O que é Bitcoin?

O Bitcoin é a primeira moeda digital, criada em 2009. Sua ideia inicial era substituir o dinheiro em compras e vendas, exclusivamente na internet. Hoje, ela é aceita em diversos estabelecimentos físicos ao redor do mundo, além de ser uma forma de investimento econômico. Essa criptomoeda funciona de forma descentralizada, em que os usuários gerenciam o sistema, sem a intervenção de um banco central, de forma que ela não depende da economia interna de nenhum país, não sofre os efeitos da inflação por se tratar de uma moeda finita.

Não se sabe ao certo sobre a identidade do criador do Bitcoin, mas especula-se que o seria um japonês com o nome de Satoshi Nakamoto, que em 2008 apresentou o conceito da criptomoeda e, em 2009, a lançou no mercado. Alguns estudiosos acreditam que se trata de um pseudônimo utilizado pelo criador, ou pelo grupo de criadores do Bitcoin.

A compra e venda de Bitcoin é feita diretamente entre os usuários, muito semelhante ao esquema de enviar/receber e-mails. As transações são enviadas com agilidade e segurança por meio da rede chamada de blockchain (ou cadeia de blocos) e as transações são aprovadas por meio do processo chamado de mineração.


Entenda a seguir os conceitos de wallet, mineração e blockchain.

Carteiras virtuais (wallet)

Para utilizar Bitcoins — comprar, vender e armazenar — é preciso criar uma carteira virtual (wallet). As criptomoedas são armazenadas digitalmente na wallet, e isso possibilita os registros de transações que são armazenados em cadeias de blocos (blockchain). Dessa forma, permite que o usuário envie e receba moedas digitais e monitore seu saldo.

Quando uma carteira virtual é criada, automaticamente são formadas duas chaves de segurança — uma privada e uma pública. A privada é usada para assinar as movimentações feitas com Bitcoin e previne que as transações sejam alteradas por qualquer outra pessoa depois de emitida. A pública é a que identifica sua carteira, a qual aparecerá para outras pessoas no momento de fazer as transações.

As chaves privadas são a segurança de uma carteira e, por isso, devem ser muito bem guardadas. Caso a chave seja perdida, as informações da conta e o saldo são perdidos também. Por isso, é recomendado nunca compartilhar a chave com terceiros ou perde-la.


Existem cinco tipos de carteiras virtuais: móveis (celular), de desktop (computador), de hardware, online ou de papel.


• Carteira móvel: são aplicativos que podem ser baixados em celulares que servem para armazenar Bitcoins e monitorar o saldo.

• Carteira de desktop (computador): É o primeiro modelo de carteira que surgiu. Para criar uma carteira virtual é necessário instalar um aplicativo em seu computador. É recomendado ter cautela ao escolher qual aplicativo baixar, pois alguns são malwares e podem roubar seus bitcoins ao serem depositados.

• Carteira de hardware: São pen-drives criados especificamente para armazenar Bitcoin. São seguros e de uso exclusivo para isso. Seu custo é elevado, mas é uma boa opção para armazenar criptomoedas.

• Carteira online: São sites que oferecem carteiras online. Funcionam como contas bancárias pela internet, porém sem taxas de adesão ou algo similar. Exchanges também funcionam como carteiras online ultra seguras. Nesse caso, além de monitorar seu saldo e armazenar criptomoedas, é possível fazer transações de compra e venda.

• Carteira de papel: A carteira de papel é um documento que contém cópia da chave da sua carteira virtual. Muitas vezes, irá apresentar o QR Code. Ela é um papel impresso, por isso, é preciso cuidar bem — plastificar e armazenar em lugares seguros. Há sites especializados para criar a carteira de papel.


O que é Blockchain?


Blockchain, ou cadeia de blocos, é um livro de registro de contabilidade público no qual toda a rede Bitcoin confia. Todas as transações confirmadas são incluídas na cadeia de blocos.

Desta forma, as carteiras de Bitcoin podem calcular o seu saldo disponível e as novas transações podem ser verificadas. A integridade e a ordem cronológica da cadeia de blocos são altamente protegidas por meio de criptografia.

A blockchain cresce constantemente na medida que novos blocos completos são adicionados a ela por um novo conjunto de registros. Esses blocos são adicionados de modo linear e cronológico. A blockchain tem as informações completas sobre endereços e saldos diretamente do bloco gênese até o bloco mais recentemente concluído.


Mineração


O que é mineração:

Mineração é o processo pelo qual transações de moedas digitais são verificadas, validadas e adicionadas à blockchain. É também o meio pelo qual novas criptomoedas são geradas. Mineradores ganham recompensas em Bitcoin por desenvolverem esse trabalho.

Quem pode minerar:

Inicialmente qualquer pessoa poderia minerar Bitcoin, bastava ter computador e energia elétrica em casa. Ao passar dos anos, minerar ficou cada vez mais difícil, pois o Bitcoin foi projetado para que a cada quatro anos a mineração seja mais complexa e ofereça recompensas cada vez menores. Hoje, são necessárias máquinas superpotentes funcionando por várias horas e muita energia elétrica para a mineração. Além de computadores, existem equipamentos no mercado específicos para mineração de criptomoedas. Sendo assim, em países com energia elétrica barata (como a China) são encontrados o maior número de mineradores do mundo. Hoje existem fazendas de mineração e grandes espaços destinados a essa atividade.

Como é feita a mineração:

Para minerar Bitcoin é preciso de um software específico. Após baixar e configurar em uma máquina, o minerador já está conectado a uma rede interligada com outros computadores que fazem parte da mesma rede Bitcoin.

As máquinas interligadas nessa rede servem como “nós” do sistema, sendo responsáveis por controlar, validar informações e garantir a segurança no compartilhamento de dados relacionados à moeda.

Dessa maneira, a rede consegue funcionar sem depender de um “nó” central, num sistema “P2P” sem a necessidade de uma organização que regule e controle sua cotação, emissão e qualquer outra atividade relacionada a ele.

O processo de mineração consiste em decifrar códigos com valores criptografados emitidos pelo software. Essas emissões são sequências de bits geradas pelo algoritmo do programa, sendo chamados de “hashs”. Esse procedimento envolve equações matemáticas altamente complexas. Quem conseguir decifrar o código primeiro ganha uma determinada quantidade de Bitcoins. O “vencedor” e os seus novos Bitcoins são informados pelo seu “nó” aos demais para que todos validem e saibam que esses Bitcoins pertencem a esse minerador.

Todas as transações ficam registradas na Blockchain, onde cada transação é registrada de forma cronológica e linear. Sendo assim a confirmação de cada transação depende de uma unanimidade de todos os “nós”, o que evita e previne fraudes.


Transações

Transação é uma transferência de valor de Bitcoin, num processo de compra e venda entre duas carteiras. Quando realizadas, elas são confirmadas no processo de mineração. Após serem emitidas e confirmadas, são registradas na Blockchain e estão seguras de que não serão alteradas por qualquer outra pessoa.

A NegocieCoins oferece plataforma para negociar criptomoedas de forma ultra segura, com as menores taxas do mercado e saques por meio dos bancos conveniados.


Newsletter

Acompanhe nossas notícias em primeira mão!


© Copyright 2018 - NegocieCoins