Mineração de Criptomoedas: como funciona? - img1

Mineração de Criptomoedas: como funciona?

19-02-2018
Viviane Menosso

Mineração é o processo pelo qual transações de moedas digitais são verificadas, validadas e adicionadas à blockchain. É também o meio pelo qual novas criptomoedas são geradas. Mineradores ganham recompensas em Bitcoin por desenvolverem esse trabalho.


Quem pode minerar

Inicialmente qualquer pessoa poderia minerar Bitcoin, bastava ter computador e energia elétrica em casa. Ao passar dos anos, minerar ficou cada vez mais difícil, pois o Bitcoin foi projetado para que a cada quatro anos a mineração seja mais complexa e ofereça recompensas cada vez menores. Hoje, são necessárias máquinas superpotentes funcionando por várias horas e muita energia elétrica para a mineração. Além de computadores, existem equipamentos no mercado específicos para mineração de criptomoedas. Sendo assim, em países com energia elétrica barata (como a China) são encontrados o maior número de mineradores do mundo. Hoje existem fazendas de mineração e grandes espaços destinados a essa atividade.


Como é feita a mineração


Para minerar Bitcoin é preciso de um software específico. Após baixar e configurar em uma máquina, o minerador já está conectado a uma rede interligada com outros computadores que fazem parte da mesma rede Bitcoin.

As máquinas interligadas nessa rede servem como “nós” do sistema, sendo responsáveis por controlar, validar informações e garantir a segurança no compartilhamento de dados relacionados à moeda.

Dessa maneira, a rede consegue funcionar sem depender de um “nó” central, num sistema “P2P” sem a necessidade de uma organização que regule e controle sua cotação, emissão e qualquer outra atividade relacionada a ele.

O processo de mineração consiste em decifrar códigos com valores criptografados emitidos pelo software. Essas emissões são sequências de bits geradas pelo algoritmo do programa, sendo chamados de “hashs”. Esse procedimento envolve equações matemáticas altamente complexas. Quem conseguir decifrar o código primeiro ganha uma determinada quantidade de Bitcoins. O “vencedor” e os seus novos Bitcoins são informados pelo seu “nó” aos demais para que todos validem e saibam que esses Bitcoins pertencem a esse minerador.

Todas as transações ficam registradas na Blockchain, onde cada transação é registrada de forma cronológica e linear. Sendo assim a confirmação de cada transação depende de uma unanimidade de todos os “nós”, o que evita e previne fraudes.