6 mitos e verdades sobre o bitcoin

6 mitos e verdades sobre o bitcoin

Tem dúvidas sobre a criptomoeda? A NegocieCoins esclarece as perguntas mais recorrentes

05-10-2018
Laura Espada
Como toda inovação, o bitcoin e a blockchain ainda geram muitas dúvidas. Questões relacionadas à segurança de dados, regulamentação e o futuro da criptomoeda são comuns nos sites de buscas. Com isso, muitos mitos são criados em cima dessas novas tecnologias. Confira o guia que nós desenvolvemos para esclarecer as principais dúvidas sobre o tema:
O bitcoin é ilegal no Brasil? Mito.
Essa é uma das ideias mais difundidas quando o assunto é criptomoeda. No Brasil, e em grande parte dos demais países, o bitcoin não é ilegal. Tanto que a Receita Federal orienta os contribuintes a como fazer a declaração das criptomoedas no imposto de renda. Porém, a moeda digital não é regulamentada e nem regulada pelo Banco Central, motivo que acaba confundindo as pessoas sobre sua legalidade.
A blockchain torna os dados públicos? Mito.
A blockchain é uma rede de código aberto e possui transparência, partindo da ideia de que todas as transações estão registradas na rede. Porém, há privacidade, pois para acessá-la são necessários os códigos e dados de identificação da transação das partes envolvidas.
Blockchain é um banco de dados? Mito.
Ao contrário de um banco de dados, no qual se pode alterar e deletar documentos, na blockchain as informações são escritas em blocos e não podem ser alteradas ou deletadas. Por isso, a blockchain se diferencia de banco de dados em nuvem, por exemplo.
É possível aplicar em bitcoin com segurança? Verdade.
O bitcoin trabalha com base na blockchain, onde as informações são armazenadas em blocos e protegidas por um código exclusivo. Conhecido como “hash”, esse código interliga um bloco ao outro, sendo uma ligação criptografada – o que torna o processo ainda mais seguro. A exposição aos ataques virtuais está relacionada ao armazenamento das criptomoedas nas carteiras. Isso porque essas carteiras normalmente ficam no computador, o que pode aumentar as chances de ataques por meio de malware, ou seja, um software nocivo.
Porém, uma opção é a carteira offline de papel, que, como o nome já diz, não está conectada à internet. Ela é um documento que contém a cópia da chave de sua carteira virtual e é uma alternativa simples para armazenar os dados com segurança. Dessa forma, a chave privada só terá contato com a internet no momento em que você realizar alguma transação.
É possível comprar algo por meio do bitcoin? Verdade.
Por mais que seja uma possibilidade ainda estudada por algumas empresas, as compras por meio de bitcoins já são realidade em alguns estabelecimentos do Brasil e em oturos países. Segundo o Coinmap.org, no mundo são mais de 13 mil locais que já aceitam as criptomoedas.
A circulação do bitcoin é limitada? Verdade.
Segundo o número definido pelo algoritmo do bitcoin, o limite máximo dessas criptomoedas em circulação é de 21 milhões. Atualmente, estão circulando um pouco mais de 17 milhões. Com o desenvolvimento dos códigos, cada vez mais complexos, este número deve crescer em um ritmo cada vez mais lento.